DestaquesNotícias

Ministra do meio ambiente, Marina Silva, lamenta assassinato de sobrinho-neto no Acre

Marina Silva expressou profundo pesar pela morte de Cauã Nascimento Silva, de 19 anos, vítima da violência que assola especialmente os jovens das periferias do Brasil. O presidente Luís Inácio Lula da Silva e outros políticos prestaram solidariedade à ministra em meio à tragédia familiar

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, utilizou as redes sociais para lamentar a morte trágica de seu sobrinho-neto, Cauã Nascimento Silva, de apenas 19 anos, assassinado no bairro Taquari, em Rio Branco, capital do Acre. Em uma publicação no antigo Twitter, Marina descreveu o ocorrido como um triste reflexo da criminalidade que ceifa vidas, especialmente entre os jovens das comunidades periféricas do país.

“Com imenso pesar e dor, recebo a notícia de que meu sobrinho-neto Cauã Nascimento Silva, de 19 anos, foi assassinado nesta terça-feira (6) em Rio Branco, no Acre. Cauã foi vítima da criminalidade que destrói vidas principalmente de jovens de bairros da periferia do nosso país. Que Deus sustente e console nossa família”, declarou a ministra em sua postagem.

A comoção pela tragédia alcançou diversos setores políticos, com o presidente Luís Inácio Lula da Silva e outros líderes expressando solidariedade à ministra Marina Silva. Lula compartilhou suas condolências em resposta ao anúncio de Marina, enquanto políticos como Chico Alencar (PSOL-RJ), Sâmia Bonfim (PSOL-SP), Benedita da Silva (PT-SP) e Randolfe Rodrigues, líder do governo Lula no Congresso, também se manifestaram, além do presidente da Embratur, Marcelo Freixo.

Cauã Nascimento Silva foi alvejado com pelo menos três tiros em sua própria residência, quando homens armados invadiram seu quarto e abriram fogo. A vítima morava na casa com a tia, um primo e outros familiares, mas não há detalhes sobre o grau de parentesco com Marina Silva.

Testemunhas relataram ter visto os agressores fugindo em uma moto após o ataque. Uma criança de 9 anos, presente na casa durante o ocorrido, foi encontrada aterrorizada no fundo do quintal após ouvir os disparos. Apesar do rápido acionamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Cauã foi encontrado sem vida quando a equipe de socorro chegou ao local. A Polícia Militar isolou a área e a Polícia Civil ficará encarregada da investigação, através da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Botão Voltar ao topo
Fechar

AdBlock detectado!

Nosso site exibe alguns serviços importante para você usuário, por favor, desative o seu AdBlock para podermos continuar e oferecer um serviço de qualidade!