10° Encontro em Defesa e Valorização da Mulher vai debater a mortalidade materna e a violência obstétrica

7 de junho de 2018
Na próxima sexta-feira, 8 de junho, três especialistas da área da Saúde com experiência nas esferas pública e privada vão abordar temas ainda pouco discutidos e que já atingiram milhares de mães no Brasil: a mortalidade materna e a violência obstétrica. A roda de conversas será realizada pela Câmara Municipal às 10h30 na Faculdade Estácio de Sá, no Centro de Goiânia, e será a décima edição do Encontro em Defesa e Valorização da Mulher da campanha “Não Vai Ter Psiu!” e projeto “Semeando a Paz”.
Na opinião do presidente da Câmara, vereador Andrey Azeredo (MDB), dados como os da Fundação Perseu Abramo, que apontaram, em 2010, que cerca de 25% das mulheres no País relataram ter sofrido violência no parto, justificam a importância de se discutir o tema em busca de soluções.“Há mães que são vítimas até de recusas em administrar analgésicos, dentre outras atrocidades. É preciso romper o silêncio e a banalização, informar as mulheres sobre os direitos delas e combater esse problema secular. Defendo também medidas como a qualificação dos profissionais e a adoção de políticas educacionais de humanização para professores e estudantes da Saúde”, afirma o presidente Andrey, idealizador da campanha “Não Vai Ter Psiu!”, instituída por ele em 1º de março de 2017 na Câmara Municipal de Goiânia.
Mortalidade Materna
Outro assunto em destaque no Encontro será a mortalidade materna, cujas principais causas no Brasil, segundo especialistas, são: hipertensão, hemorragias, infecções pós-parto e abortos. Segundo dados de 2012 do Ministério da Saúde (MS), 66% dos casos de mortalidade materna ocorreram por causas obstétricas diretas. O MS define a morte materna como “o óbito de uma mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término desta, independentemente da duração ou da localização da gravidez. É causada por qualquer fator relacionado ou agravado pela gravidez ou por medidas tomadas em relação a ela. Não é considerada morte materna a que é provocada por fatores acidentais ou incidentais.”
Roda de especialistas    
O 10° Encontro em Defesa e Valorização da Mulher também reforça a mobilização mundial do 28 de maio, Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna. O evento terá uma roda de conversas com especialistas abordando diferentes ângulos dos assuntos propostos e tirando as dúvidas da platéia. A mediadora será a advogada Ilma Araújo, servidora pública estadual, professora universitária e presidente da Associação Projeto Semeando a Paz.
As debatedoras serão a enfermeira e professora da Faculdade Estácio de Sá, Alinne Almeida Sousa de Sá, graduada pela Universidade Federal de Goiás (UFG) com residência em Enfermagem pelo MS e chancela pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), a psicóloga perinatal Carla Gonzaga Cardoso Póvoa, terapeuta de Casais e Família, e a coordenadora do Óbito Materno e Feminino da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS), Lorena de Almeida Ribeiro, mestre em Enfermagem e especialista em Obstetrícia, Controle de Infecção Hospitalar, Epidemiologia, Vigilância Ambiental e Gestão de Emergências em Saúde Pública. “É impressionante a adesão de profissionais de destaque em Goiás aos nossos Encontros. São pessoas comprometidas com o bem-estar social que acreditam no poder da informação e da união de forças para transformar a realidade”, destacou Andrey Azeredo.
Pesquisa inédita 
No evento serão apresentados, ainda, os dados mais recentes da mortalidade materna em Goiânia e também será exibido um vídeo da pesquisadora Mayara Guimarães, enfermeira da Estratégia Saúde da Família (ESF) de Caldas Novas (GO) que participou da realização de pesquisa inédita dos estudantes de pós-graduação em Enfermagem da UFG sobre violência obstétrica em unidades de Saúde Pública.
Não Vai Ter Psiu!
A campanha “Não Vai Ter Psiu!” é suprapartidária, voltada para toda a Região Metropolitana de Goiânia e foi criada com o objetivo de combater todas as formas de violência e assédio às mulheres. Em 2017, primeiro ano da mobilização, foram realizados sete Encontros, cinco na Capital e dois em Aparecida de Goiânia. A partir do segundo evento foi firmada parceria permanente com o projeto Semeando a Paz (idealizado pelas professoras universitárias Ilma Araújo e Neusa Valadares).
Serviço: 
Evento: 10° Encontro em Defesa e Valorização da Mulher da campanha “Não Vai Ter Psiu!” e projeto Semeando a Paz
Tema: “Saúde da Mulher: Mortalidade Materna e Violência Obstétrica”
Realização: Câmara Municipal de Goiânia
Apoio: Faculdade Estácio de Sá
Data: sexta-feira, 08 de junho
Horário: 10h30
Local: Auditório da Faculdade Estácio de Sá
Endereço: Rua 67-A, quadra 140, N° 216, Centro, Goiânia