Política

“Ajustar as finanças não é um fim, mas um meio para dar a população melhores serviços públicos”, diz Cristiane Schmidt em encontro com Caiado

A futura secretária da Fazenda de Goiás, Cristiane Schmidt, afirmou nesta quinta-feira (13/12) após reunião em São Paulo com o governador eleito Ronaldo Caiado (Democratas) e representantes do governo federal e outros Estados que tem o compromisso de atuar em uma gestão comprometida com o social e com as boas práticas públicas. Segundo ela, o foco de seu trabalho será a melhoria dos serviços públicos.

“Ajustar as finanças não é um fim, mas um meio para dar a população melhores serviços públicos. Agir no social com responsabilidade, para poder dar perenidade aos serviços públicos depois. O governador quer fazer uma boa gestão em termos de serviços públicos. Por isso temos que arrumar as finanças agora. É urgente”, afirmou.

Cristiane Schmidt esteve com o governador a convite da organização social Comunitas, que atua na fase de transição do governo em Goiás, para tratar de alternativas para equilibrar as contas públicas. O encontro foi com a presença do atual ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, e o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida (que permanecerá à frente do Tesouro na gestão do presidente eleito Jair Bolsonaro), além dos governadores eleitos Eduardo Leite (PSDB), do Rio Grande do Sul; Hélder Barbalho (MDB), do Pará; e Romeu Zema (Novo), de Minas Gerais.

O objetivo do grupo formado nesta quinta-feira é criar um intercâmbio entre os governadores para tratar de regras para as carreiras de servidores públicos, rediscutir as regras da Previdência e melhorar a comunicação com os demais poderes – como Judiciário, tribunais de contas e ministérios públicos, além da sociedade civil – para equilibrar as contas públicas.

“Os Estados estão unidos e comprometidos em ajustar as finanças com a intenção de melhorar os serviços públicos à população. Essa é a ideia, que tem o total apoio do governo federal, que entende que estes Estados com problemas financeiros. Não há dinheiro no caixa para implementar boas políticas públicas, contudo. Esse é um problema real. É fato. Por isso o ajuste fiscal é imprescindível e o governo federal entende que as finanças de Goiás não estão boas. Estamos herdando um grande problema”, garantiu.

Ronaldo Caiado também elogiou a iniciativa. “Todos os que aqui estão têm o compromisso com uma gestão responsável e com o equilíbrio fiscal de seus Estados. É muito importante que tenha sido estabelecido aqui um pacto entre os governos estaduais, com o respaldo do governo federal, para construirmos este ajuste. A União também precisa ser nossa parceira nesta hora e dar condições aos Estados que necessitam aderir ao regime de recuperação fiscal”, afirmou Ronaldo Caiado.

Botão Voltar ao topo
Fechar

AdBlock detectado!

Nosso site exibe alguns serviços importante para você usuário, por favor, desative o seu AdBlock para podermos continuar e oferecer um serviço de qualidade!