Caiado está na lista dos “Cabeças” do Congresso pela 19ª vez consecutiva

Parlamentar é o único senador goiano no levantamento dos congressistas mais influentes realizado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP)

18 de setembro de 2018
Ronaldo Caiado (Democratas) é o único senador goiano entre os “Cabeças” do Congresso Nacional, segundo levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP) com os congressistas mais influentes do parlamento. Nesta 25º edição dos “Cabeças” do Congresso, Caiado aparece pela 19ª vez consecutiva na lista que ainda selecionou outros dois goianos, ambos deputados federais. Desde 1994, o Diap divulga essa pesquisa com os 100 deputados e senadores mais atuantes e que mais tem peso na tomada de decisões dentro do parlamento. Entre as características consideradas pelo Diap estão a capacidade de conduzir debates, votações, articulações, e a eficiência na elaboração de propostas que pautam o centro do debate.
“Minha presença todos esses anos no levantamento do Diap aumenta minha responsabilidade como representante dos brasileiros e dos goianos que me elegeram por cinco mandatos como deputado federal e desde 2015 como senador da República. Tenho orgulho de ser goiano e de ser político e poder estar no Congresso lutando pelo interesse público. Essa é minha missão e obrigação como parlamentar”, disse Caiado.
O senador goiano foi escolhido como “Cabeça” do Congresso na categoria “debatedor”. Segundo o Diap, os debatedores são parlamentares ativos sempre atentos aos acontecimentos com capacidade de repercutir os fatos gerados no Congresso. Ainda de acordo o órgão, esse parlamentar é conhecedor do regimento interno e exerce influência no debate e na definição da pauta da Casa. Além dos debatedores, o Diap tem as categorias: articuladores/organizadores; formuladores; negociadores; e formadores de opinião. De acordo com essa classificação, os “Cabeças” 2018 possuem 34 parlamentares debatedores, 33 articuladores/organizadores, 17 formuladores, 15 negociadores, um formador de opinião.
Critérios 
Para realizar a pesquisa, o Diap usou critérios qualitativos e quantitativos que incluem aspectos posicionais (institucionais), reputacionais e decisionais. O critério posicional ou institucional significa o vínculo formal ou o posto hierárquico ocupado na estrutura de uma organização, como lideranças, integrantes ou presidentes de comissões, por exemplo. O reputacional refere-se a percepção e juízo que outras pessoas têm ou fazem sobre determinado ator político; e o decisional, a capacidade de liderar e influenciar escolhas.
A partir desses requisitos, a instituição fez entrevistas com deputados, senadores, assessores das duas Casas do Congresso, jornalistas, cientistas e analistas políticos, e realizou  análise das atividades profissionais, dos vínculos com empresas ou organizações econômicas ou de classe, da formação e vida acadêmica, além de levantamentos de pronunciamentos, apresentação de proposições, resultados de votações, intervenções nos debates do Legislativo, frequência com que é citado na imprensa, temas preferenciais, cargos públicos exercidos dentro e fora do Congresso, relatorias de matérias relevantes, forças ou grupos políticos de que faça parte, além do exame minucioso dos perfis políticos e ideológicos de cada parlamentar.