Safra de grãos deve crescer 7,5% em Goiás

9 de novembro de 2018

A safra de grãos 2018/19 pode chegar a 22,8 milhões de toneladas em Goiás, com crescimento da produção de 7,5% em relação à safra 2017/18, de acordo com o 2º levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta semana. O prognóstico também aponta um aumento de 3,1% de área plantada (5,47 milhões de hectares) e 4,3% na produtividade (4.177 quilos por hectare). A estimativa regional foi compilada pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento (SED). “Neste ano, Goiás é o 4º Estado em produção de grãos e a expectativa é que continuemos nesta posição com essa safra”, afirma o coordenador da área de Estudos de Mercados, Estatística e Acompanhamento de Safras da Superintendência de Executiva de Agricultura da SED, Juarez Gomes Bucar.

Em Goiás, a soja continua como principal cultura, com aumento da área plantada de 3,5%. No entanto, produção (-1,8%) e produtividade (-5,1%) têm variações negativas. A expectativa é colher entre 11,4 e 11,5 milhões de toneladas de soja em Goiás nesta safra. No ranking nacional, os números colocam o Estado como o 4º maior produtor da oleaginosa, atrás de Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul. Segundo levantamento semanal da consultoria AgRural, 80% da área destinada à soja já está plantada em Goiás.

Na sequência vem o milho, com 9,8 milhões de toneladas, 21,3% a mais do que a safra 2017/18, e registrando aumento também na área plantada (3,9%) e na produtividade (16,7%). “Ao fazer as contas sobre o valor do plantio, há produtores que migram da soja para o milho”, analisa o coordenador. A terceira cultura mais expressiva no Estado para esta safra é o sorgo, com 787 mil toneladas, 10,8% a mais em produção e produtividade do que na safra anterior, mantendo a mesma área plantada. Goiás é o principal produtor de sorgo do Brasil.

A cultura do arroz ocupa a quarta posição, com até 106,8 mil toneladas de produção (+1,9%) e aumento de produtividade (+4,6%), mesmo com variação negativa da área plantada (-2,3%). Em quinto lugar, as três safras de feijão devem ter menor produção em 2018/19, (339 mil toneladas, -7,8%). Apesar da redução da área plantada (-9%), a produtividade deve crescer 1,3%.

No caso do algodão em caroço, a produção pode ser de até 161,6 mil toneladas, uma variação positiva de 19,4%, com área plantada aumentada em 20%, mas produtividade 0,5% menor. A maior variação positiva de produção é do girassol, com safra 42,5% maior do que em 2017/2018, produtividade 42,7% superior, com a mesma área plantada (22,2 mil hectares).